• Mar
    11
    Author: Erick Pessoa

    O mar transparenteExistem poucos lugares no mundo onde se tem a verdadeira sensação de que se está em um paraíso. Mas o que seria um cenário paradisíaco? Areia branca e fina? Mar calmo, quente e transparente? Tempo bom o ano inteiro? Bem, as ilhas Phi Phi oferecem isso e muito mais. 

    Como qualquer paraíso, chegar lá não é tarefa fácil. Ainda bem que a estrutura de turismo da Tailândia e, mais especificamente, de Phuket são bem organizadas. Compramos o passeio oferecido pela Viator, que oferece um dia inteiro na praia de Long Beach, na ilha de Phi Phi Don. Mas não se engane: esse “dia inteiro” na praia, na verdade, dura apenas quatro horas, o que definitivamente não é suficiente para ratos de praia como eu. Ainda bem que a experiência é tão incrível que compensa qualquer frustração que possa ser causada por ficar tão pouco tempo na praia.

    Mesmo sendo apenas quatro horas reais de praia, o dia começa bem cedo. A van nos buscou por volta de 6h30, já que nosso hotel era um pouco distante do centro de Phuket. Por volta das oito da manhã estávamos no porto de Phuket para embarcar (em um barco estilo catamarã) em direção a Phi Phi Don, a maior ilha do arquipélago. Esta é a parte mais desagradável do passeio, pois são duas horas e meia de viagem em mar aberto, com pouco a ser visto. Pelo menos ofereceram refrigerantes e petiscos gratuitos ao longo da viagem. É um barco grande, e você tem a opção de sentar confortavelmente na parte inferior, protegido do vento e do sol, ou na parte superior, para apreciar a vista. Se escolher a segunda opção, melhor ir direto para o deck superior assim que embarcar, pois os espaços sentados são limitados. O que eu recomendaria seria ficar no deck superior na ida para Phi Phi Don e na volta ficar no deck inferior, pois você provavelmente estará exausto do dia na praia, e um cochilo seria muito bem-vindo. Também é importante dizer que nem todo mundo que está no barco vai para o mesmo lugar. O navio atraca em vários resorts para desembarcar hóspedes, então não se preocupe: nem todos que estão ali vão disputar um lugar ao sol com você.

    Devido ao tamanho do barco, ele não pode se aproximar muito da praia, por isso temos de desembarcar em pequenos barcos alongados a motor, com capacidade para cerca de 10 pessoas por vez. Como é uma viagem curta, não precisa se preocupar muito com isso. Chegando à praia, você pode alugar cadeiras e guarda-sol. A areia é ótima: branca e fina, e não machuca seus pés com conchas ou pedras. A água é incrivelmente transparente e calma, com peixinhos vindo até a beira d’água para checar o que está acontecendo. Há uma área cercada por boias para proteger os banhistas dos barcos que chegam à praia, o que é uma constante, diga-se de passagem. Se eu tivesse algo para reclamar de lá, seria isso. Às vezes há tantos barcos ancorados que fica difícil desfrutar a praia em toda sua pequena extensão.

    Por volta das onze da manhã, o guia começa a juntar as pessoas para uma viagem de 5 minutos de barco até o recife de coral mais próximo da praia, para mergulharmos de snorkel. Para mim, este foi o ponto alto de todo o passeio, altamente surpreendente. Eu esperava ver uns peixinhos e uns corais coloridos, mas o que vi foi algo totalmente diferente. Centenas de peixes de diferentes espécies sem medo de chegar perto de você para comer as migalhas de pão jogadas pelo guia. Com a máscara, você pode ver   até o fundo, onde estão pepinos-do-mar, estrelas-do-mar, ouriços e peixes grandes com quase 1 metro de comprimento. Você está liberado para se distanciar um pouco do barco, algo que recomendo, já que a maioria das pessoas fica perto dele. Mesmo que não seja um bom nadador, você pode boiar usando um salva-vidas e olhar os peixes com a máscara.

    Conversando com o guia, eu me mostrei preocupado com a exploração da região e com o número de turistas visitando a área. Enquanto nadávamos, em torno de quatro ou cinco lanchas particulares grandes chegaram e aportaram com grupos de cinco ou sete pessoas. O guia me contou que não existe um controle de quantos barcos podem desembarcar na ilha, mas ali em torno do coral só é possível atracar se houver uma boia disponível, e há apenas dez naquela praia. Já é um tipo de controle.  O guia me contou, também, que os corais perderam as cores; atualmente, a maioria está meio esverdeada, mas antes eles eram incrivelmente coloridos.

    Depois dessa experiência incrível, voltamos à praia, onde nos foi oferecido um almoço estilo bufê incluído no valor do passeio. A comida era bem básica, nada especial, mas pelo menos era suficiente para todo mundo. 

    Depois do almoço, relaxamos na praia, tomamos banho de sol, bebemos água de coco por mais duas horas e tivemos de voltar para Phuket. Os preços na ilha, claro, são um pouco inflacionados comparados a Bangcoc, mas nada de absurdo e tudo é acessível. 

    Você deve considerar a possibilidade de ficar pelo menos um dia em Phi Phi. Existem resorts por uma variedade de preços. Em Long Beach havia quartos disponíveis por 600 bahts tailandeses (em torno de 33 reais) até quartos em um resort na encosta por 3000 bahts (por volta de 164 reais) e para cima. 

    Não importa se você vai visitar a ilha por uma tarde ou se vai ficar por um tempo, Phi Phi é parada obrigatória!

    Tags: Phi Phi,Phuket,Tailândia,barco,praia,Long Beach,
    Publicado 11th March, 2010 Categoria Phuket 2 Comentários Positivo () Negativo ()
  • Deixar um comentário
  • Comporte-se e permanecer no tópico! Seu endereço de email não será publicado.
  • Nome (necessário):
  • Email (necessário):
  • Comentários:
Copyright 2009 - Vivo Viajando | Posts | Comments Design Concept by Tony Wang based on CarbonCMS. XHTML|CSS