• Aug
    07
    Author: Erick Pessoa

    Uma das coisas que funciona como um relógio aqui – bem melhor que em Londres, diga-se de passagem – é o sistema de transporte público. Por todo esse tempo que moro aqui em Berlim, pouquíssimas vezes eu realmente senti falta de um carro pois o transporte público chega a praticamente todos os lugares que eu queira ir. Tudo aqui é interconectado. Você compra um bilhete na estação de trem e este serve para metrô, ônibus e bonde. Aqui também tem algo muito pitoresco que nunca vi em nenhuma outra cidade; não existe catraca em lugar algum. Você entra no trem sem passar por nenhuma roleta ou fiscal, algo incrível que só funciona com um povo civilizado. Mas não ache você que só por isso todo mundo é certinho não. O que fazem aqui é interessante. Você não passa por roletas mas volta e meia tem fiscais dentro dos trens à paisana e se te pegarem sem o ticket, você morre em 40 euros e aqui não tem “mas eu não sabia!” , “eu sou turista” ou qualquer outra desculpa; tem que pagar na hora. Por isso vou passar para vocês umas dicas que aprendi aqui e que juro fazem TODA a diferença. Você aqui em Berlim não paga por entrada e saída de estação. Você paga por viagem. Existem vários tipos de tickets para serem comprados. Estes são: – A cidade é dividida em 3 zonas; A, B e C. Raramente você precisará de um bilhete que abranja as 3 regiões. A única coisa para turista que fica na região C é o aeroporto Schõnefeld e caso você queira visitar a cidade de Potsdam. O resto todo fica nas regiões A e B. – Um bilhete para a Zona AB pode ser Einzelfahrschein (Bilhete Simples) e Tageskarte (Bilhete para o dia todo) . A diferença é simples: O bilhete simples é para uma viagem apenas em uma direção com duração de 120 minutos. Atenção para o detalhe da direção e duração; se você, por exemplo está indo do Oeste para o Leste, você pode pegar quantos trens/ônibus/bondes quiser, desde que seja sempre nesta direção e que no máximo para isso leve 120 minutos. Você pode parar no meio do caminho, fazer uma boquinha, ir no super e voltar para a sua viagem sem problemas, desde que mantenha a direção original. Se você voltar uma estação sequer e for pego, multa de 40 euros. O preço deste ticket são 2.10 euros. O Tageskarte é o que recomendo de você vai fazer mais que duas “ida-e-voltas” no dia. Ele vale do momento que você valida (vou explicar em breve isso) até às 3 da manhã do dia seguinte. Atenção à isso também. Tive uma amiga que comprou um bilhete às 14:00 e teve que pagar uma multa pois estava us ando o bilhete no dia seguinte as 11:00 AM. O bilhete não é de 24 horas! O valor dele é de €6.10 – Ainda existem mais dois tipos de bilhetes relevantes mas menos utilizados: Fahrschein für Kurzstrecken eAnschlussfahrschein. O primeiro vale para viagens curtas, no máximo 3 estações de trem ou de metrô ou então não mais que 6 paradas de ônibus e custa €1.30. Anschlussfahrschein é uma extensão do bilhete para uma terceira zona, por exemplo no dia que você quiser ir à Potsdam mas já tem um bilhete comprado, em vez de comprar um novo bilhete, você compra essa extensão de €1.40. - Logicamente se você for ficar uma semana ou mais, existem tickets de 1 semana, 1 mês e até 1 ano e todos com desconto, não como no metrô do Rio que o bilhete de 10 viagens é igual ao bilhete unitário vezes 10. Eu compro, por exemplo, o mensal (€72) pois uso os trens, pelo menos 2 vezes por dia para ir e voltar do meu curso. - Existem descontos para estudantes universitários. Até dezembro do ano passado, havia descontos para alguns cursos de idiomas mas não mais. - Se você decidir alugar uma bike e quiser levá-la no trem, sem problemas, mas ela paga. Ué? Surpreso? Ela ocupa espaço, oras! Por isso tem que pagar um bilhete para ela também e não é barato não! Uma viagem com o “camelo” fica €1.50 mais caro. - Você compra os seus bilhetes nas máquinas que normalmente ficam na plataforma. Quando for do metrô (BVG), são máquinas amerelinhas. Nas plataformas de trem (S-Bahn) são máquinas vermelhas e prateadas. Todas elas oferecem o menu em inglês e espanhol. É só clicar nas bandeirinhas no rodapé da tela. Elas aceitam moedas e notas mas não cartão de crédito. Nas principais estações você também pode comprar em guichês seus bilhetes. - No ônibus você tem que apresentar o seu ticket ao motorista. Se você não o têm, você compra com ele. No bonde existem máquinas dentro para se comprar o bilhete e não se precisa validar se comprar no bonde.
    Agora o mais importante de tudo. Comprar apenas o seu bilhete não basta. Você tem que VALIDAR. Vou repetir,VALIDAR.Várias e várias vezes eu vi turistas terem que pagar a maldita multa por não terem validado os bilhetes. Até compram, mas não carimbam o dito e aí já era. Em todas as plataformas tem umas máquinas onde se insere o bilhete para esse ser carimbado com a hora e estação que você embarcou. Tem até uma certa lógica já que tem bilhetes que limitam horário e direção. Como essa é uma modalidade que não existe em outros países, levei um tempo para me acostumar. Ufa! Acho que cobri tudo que sei sobre este tema. Não deixem de planejar seus percursos no site da BVG. Lá você nem precisa saber qual estação tem que ir. Basta apenas dizer o endereço de onde você está e para onde você quer ir. O site indicará o melhor meio de transporte para o horário que você quer sair ou chegar. Se você for modernex, tem um app legal para o iPhone chamada Berlin Trip Planner que faz o mesmo que o site da BVG faz (inclusive é autorizada pela mesma para fazer isso). Link para a iTunes Store. - Translated by Cláudia Belhassof 

    Tags: Berlim,Berlin,BVG,metr,s-bahn,trem,u-bahn
    Publicado 7th August, 2009 Categoria Berlim 2 Comentários Positivo () Negativo ()
  • Deixar um comentário
  • Comporte-se e permanecer no tópico! Seu endereço de email não será publicado.
  • Nome (necessário):
  • Email (necessário):
  • Comentários:
Copyright 2009 - Vivo Viajando | Posts | Comments Design Concept by Tony Wang based on CarbonCMS. XHTML|CSS